quinta-feira, 21 de maio de 2015

Ainda







Ainda escrevo tanto
Pra você,
Só você
Ler

Ainda invento historias, poemas, mentiras na rodinha de amigos
Somente
Pra te  mencionar

Ainda faço cena,
Pra chamar sua atenção

Ainda me perco no mesmo parque
Por ali, perto do lago,
Perto do balanço, 
da areia
Na esperança de você me encontrar

Ainda espero o dia
Em que você,
que diz ser como eu
Entenda toda a minha burrice.
E veja que não é só você que é a patinha feia, nesse mundo de cisnes
Que eu também erro,
Que eu também ando com o bando errado de animais 

Ainda espero brincar com você no mesmo lago.
Dois patinhos feios, desengonçados
Perdidos.
Acasalando no parque.

Nenhum comentário: